0

Eike Batista: Da glória à ruína

Posted by José Flávio Santos de Carvalho on 00:01
Sexta-feira, 27 de janeiro 

Eike Batista
Antes de chegar ao Brasil e seu cortejo de gente corrupta nos altos escalões empresariais e governamentais, o Cottidianos lança ainda um olhar sobre a América de Donald Trump.

Ah, muros, muros! Em qualquer lugar, e em qualquer circunstância serão sempre sinal de divisão, e usando as palavras do livro sagrado dos cristãos, proferidas pelo mestre, Jesus de Nazaré, um reino dividido não pode permanecer de pé.

Tomemos como exemplo o maior símbolo de divisão do mundo, da qual se tem notícia, que foi a construção do Muro de Berlim, em 1961, e que dividiu a Alemanha em duas: Alemanha Oriental e Alemanha Ocidental. Escondido atrás de ideologias havia a intenção de impedir que os da Alemanha Ocidental fugissem para a Alemanha Oriental.

A experiência não se mostrou favorável e, em 1980, o muro veio ao chão, Foi de grande simbolismo, ver os alemães, de marreta em punho, derrubarem o detestável muro. Como sabemos, um muro não separa apenas fronteiras físicas, eles também separam vidas, sonhos, esperanças.

Simbolicamente — e os leitores entenderão o sentido dessa palavra no contexto dessa postagem algumas palavras mais à frente — Donald Trump quer construir um muro na fronteira que separa México e Estados Unidos. Ele assinou nesta terça-feira (25), um decreto que autoriza a construção do tal muro. Aliás, isso era uma promessa de campanha, uma esdrúxula promessa, na qual poucos acreditavam, e que está em vias de ser concretizada. O objetivo é barrar o controle migratório. Ainda não é claro de onde virá o dinheiro que financiará a construção da edificação. Trump quer que o México pague o pato, digo, o muro.

O presidente Mexicano, Enrique Peña Nieto, diz que o México não vai pagar coisa alguma. Em contrapartida, o presidente americano diz que o México vai pagar de um jeito ou de outro.

O fato é que o incidente já começou a causar rachaduras entre um parceiro comercial importante para os Estados Unidos. Na próxima terça-feira haveria uma reunião entre os presidentes dos dois países. Eu disso haveria, pois Peña Nieto, disse que não vai aparecer nessa reunião, de jeito nenhum.

Ah, o simbolicamente, usado três parágrafos acima, é pelo fato de que Trump pode não estar construindo apenas um muro entre os Estados Unidos e o México, mas o significado disso pode ser bem maior. No caso, ele pode até estar construindo muros entre os Estados Unidos e o mundo, com as medidas protecionistas que vem adotando no seu início de governo, e, com isso, pode estar perdendo importantes parceiros comerciais.

Só o tempo dirá se, ao final, os americanos aplaudirão Trump, ou se pegarão, a exemplo dos alemães, marretas para destruir o muro, ou os muros erguidos no governo Trump.

Chegando ao Brasil, os figurões continuam a passar de heróis a bandidos que chafurdam num mar de lama.

Nesta quinta-feira (26), a Polícia Federal deflagrou mais uma operação, chamada de Operação Eficiência, que por sua vez, é a segunda fase da Operação Calicute, que por sua vez, é um desdobramento da Lava Jato. Dessa vez, o alvo era Eike Batista, que já foi considerado um dos homens mais ricos do mundo.

Às seis da manhã, os policiais já estavam na casa de Eike, Zona Sul do Rio, em busca de documentos. Podem ter encontrado documentos, mas não o empresário, que foi declarado foragido e agora é procurado pela polícia internacional.

Além de Eike, os policias cumpriam seis mandados de prisão preventiva, quatro conduções coercitivas, e 22 buscas e apreensões. Os envolvidos no caso são acusados dos crimes de organização criminosa, e corrupção ativa e passiva.

Segundo a PF, Eike teria pagado propina ao ex-governador do Rio, Sérgio Cabral, em troca de obter facilidades no contrato em obras públicas, quando Cabral era governador do Rio.  Os investigadores afirmar ter indícios de que Eike tenha pagado R$ 52 milhões a Sérgio Cabral. Como justificativa foi usado um contrato de compra e venda de uma mina de ouro que só existiu mesmo no papel.

Segundo o Ministério Público, o empresário teria repassado R$ 1 milhão ao escritório de advocacia de Adriana Ancelmo, mulher de Sérgio Cabral.

Eike que já foi famoso por ser o esposo da modelo e atriz, Luma de Oliveira, deixou de pegar carona na imagem da mulher e se tornou um dos homens mais ricos do mundo, segundo a revista Forbes. Eike viu seu império começar a virar pó com o insucesso da petroleira OGX. Isso acabou afetando todas as empresas do grupo, causando, desse modo, um efeito dominó.

Os braços dos negócios de Eike estavam em vários ramos, mas ele começou a enriquecer no ramo da mineração, e alcançou a auge com as empresas do ramo petroleiro.

A OGX estreou na bolsa de valores em junho de 2008. Na ocasião a empresa causou grande sensação no mercado brasileiro. Na ocasião, ela realizou uma oferta sensacional de oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês). Aproveitando-se da esperança de empresários ávidos por grandes lucros no mercado de óleo e gás, a empresa, ainda em fase pré-operacional, conseguiu captar 6,7 milhões de reais superando, inclusive a Bovespa Holding. Com essa quantia a OGX conseguiu captar a maior oferta pública inicial da bolsa de valores do Brasil.

Passaram-se alguns meses após essa transação e o preço das ações foi derrubado por uma crise grave crise internacional. Depois disso, as ações continuaram oscilando. A promessa de ouro negro não foi concretizada e, cinco anos depois, a empresa deu um calote nos credores no valor de R$ 45 milhões.

Depois disso, o rei começou a descer do trono, e suas empresas começaram a perder o brilho do ouro.

Depois de uma briga judicial, o empresário teve seus bens bloqueados pela justiça para que fosse garantido o direito dos investidores serem ressarcidos do prejuízo.

Os operadores da Lava Jato buscam dados que comprovem que Eike pagou propina à Petrobras em troca de vencer uma concorrência. Segundo a Polícia Federal, Eike pode ter ocultado mais de R$ 340 milhões em paraísos fiscais. O Ministério Público já conseguiu repatriar grande parte dessa fortuna e colocou à disposição da Justiça Federal.

Uma boa notícia é a de que os juízes que auxiliavam Teori nas delações premiadas da Odebrecht, já ouviram quase todos os executivos e ex-executivos da empresa. Nesse ritmo, é possível que as audiências terminem ainda nesta sexta-feira, colocando um ponto final na última fase antes das homologações dos acordos. Marcelo Odebrecht deverá ser ouvido nesta sexta-feira.

Essa semana, em conversa com a presidente do STF, Cármen Lúcia, Rodrigo Janot, Procurador-Geral da República pediu urgência no caso, no que foi atendido pela presidente do STF, e as audiências avançaram. Apesar disso, ainda não há um novo relator para a Lava Jato, mas é possível que, na semana que vem, já se tenha uma definição sobre esse assunto.



0 Comments

Postar um comentário

Copyright © 2009 Cottidianos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive. Distribuído por Templates