0

Semana Mundial do Espaço

Posted by José Flávio Santos de Carvalho on 15:38
Quinta-feira, 09 de outubro


No mistério do sem-fim
Equilibra-se um planeta.

E, no planeta, um jardim,
E, no jardim, um canteiro;
No canteiro uma violeta,
E, sobre ela, o dia inteiro,

Entre o planeta e o sem-fim,
A asa de uma borboleta

(poema Canção Minima – Cecília Meireles)



Deixo aqui uma singela homenagem a Semana Mundial do Espaço, instituída pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 1999, com o objetivo de lembrar o quanto a ciência e a tecnologia espacial tem contribuído para melhorar a qualidade de vida da população do planeta. Ela acontece entre os dias 04 a 10 de outubro e, em todo o mundo, são realizados eventos e programas educacionais que enfatizam o tema.

Lembrando a data, ofereço a vocês a letra da bela música, Terra, da autoria de Caetano Veloso. Queira Deus, que continuemos girando, girando e girando no espaço sideral pela eternidade afora. Queira Deus, que assumamos a consciência de é que preciso cuidar de nossa casa, antes que ela se irrite e se volte contra nós, como já tem dado claros sinais de que a estamos prejudicando.


Se não formos zelosos de nosso habitat, desapareceremos, e não restará de nós nem as lembranças. Pois quem haverá de preservar nossa memória, se tivermos todos ido embora? Que máquinas fotográficas registrarão o futuro, se todos os fotográfos tiverem sumido. Se faltar a terra, se faltarmos nós, ainda restará um universo inteiro. Mas não queremos, isso, de modo algum. Queremos mesmo é continuar participando da grande festa do infinito. Navegando no nada por todo o sempre.


***



Terra

Quando eu me encontrava preso
Na cela de uma cadeia
Foi que eu vi pela primeira vez
As tais fotografias
Em que apareces inteira
Porém lá não estavas nua
E sim coberta de nuvens...

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?

Ninguém supõe a morena
Dentro da estrela azulada
Na vertigem do cinema
Mando um abraço prá ti
Pequenina como se eu fosse
O saudoso poeta
E fosses a Paraíba...

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?

Eu estou apaixonado
Por uma menina terra
Signo de elemento terra
Do mar se diz terra à vista
Terra para o pé firmeza
Terra para a mão carícia
Outros astros lhe são guia...

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?

Eu sou um leão de fogo
Sem ti me consumiria
A mim mesmo eternamente
E de nada valeria
Acontecer de eu ser gente
E gente é outra alegria
Diferente das estrelas...

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?...

De onde nem tempo, nem espaço
Que a força mãe dê coragem
Prá gente te dar carinho
Durante toda a viagem
Que realizas do nada
Através do qual carregas
O nome da tua carne...

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?
Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?
Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?

Na sacada dos sobrados
Da velha são Salvador
Há lembranças de donzelas
Do tempo do Imperador
Tudo, tudo na Bahia
Faz a gente querer bem
A Bahia tem um jeito...

Terra! Terra!
Por mais distante
O errante navegante
Quem jamais te esqueceria?

Terra!

0 Comments

Postar um comentário

Copyright © 2009 Cottidianos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive. Distribuído por Templates