1

Ó pátria amada Brasil, nasceste para ser grande! Porque não assumes, tu mesma, a tua vocação?!

Posted by José Flávio Santos de Carvalho on 00:05
Sábado, 14 de junho

Imagem: http://www.fotografodigital.com.br/fotografia/e-o-sol-da-liberdade-em-raios-fulgidos-69445.html

Ano passado, durante a Copa das Confederações, os brasileiros presentes aos estádios para assistir aos jogos da seleção canarinho, emocionaram o Brasil e o mundo ao cantarem, a plenos pulmões, o Hino Nacional Brasileiro, mesmo após o término da versão resumida indicada pela FIFA. Era emocionante ver aquele coro de milhares de vozes tão bela e fortemente entoando a letra do hino pátrio. A beleza e a espontaneidade do gesto emocionou árbitros, técnicos e atletas de outras seleções. Após o fim da partida entre Brasil e México, o técnico brasileiro Luiz Felipe Scolari foi aos vestiários cumprimentar o árbitro inglês, Howard Webb. Howard confidenciou ao técnico da seleção brasileira: “‘Felipe, fiquei emocionado. O som do estádio parou completamente e o povo continuou a cantar o hino. Eu nunca vi coisa igual na minha vida”. O fato se repetiu em todos os jogos daquele campeonato, no qual o Brasil sagrou-se campeão.

Na tarde de quinta-feira (12), quando o som do estádio parou e o povo repetiu o gesto da Copa das Confederações, a emoção dominou os jogadores brasileiros e muitos foram às lágrimas, assim como milhões de brasileiros também sentiram tímidas lágrimas a escorrer pelas faces. Quando vi a força daquela interpretação, pensei: “O Brasil não perde esse jogo de jeito nenhum”. E de fato, mesmo depois do susto, o time mostrou força e garra e alcançou a vitória. Dizem, que houve uma pequena ajuda do árbitro ao marcar um pênalti que não existiu, mas o fato não tira o brilho e o vigor de nossa seleção.

Que ao som dos versos:

“… Brasil, um sonho intenso, um raio vívido
De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu, risonho e límpido,
A imagem do Cruzeiro resplandece.
Gigante pela própria natureza,
És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza…

A torcida brasileira continue embalando e emocionando nossa seleção rumo a vitória e, com a mesmo vigor e força, cante o hino nas eleições do fim do ano, tendo a sensatez de escolher melhores lideranças para a nossa nação. Lideranças honestas e comprometidas com o futuro dos 200 milhões de brasileiros que vivem sob este céu azul e branco e pisam este chão verde-amarelo. Que embalados todos juntos nesse áureo sonho, possamos construir um Brasil melhor, mais justo e mais humano.

De igual modo modo com que o povo brasileiro cantou o hino pátrio na Copa das Confederações, ainda está acesa na lembrança de todos a estrondosa vaia que a presidente Dilma Roussef recebeu durante o discurso que fazia por ocasião da festa de abertura do evento. Não conseguindo discursar,a presidente resolveu abreviar em muito as palavras que dirigiria a nação. O presidente da FIFA, Joseph Blatter, saiu em defesa da presidente e também foi vaiado.

Dessa vez, na festa de abertura da Copa do Mundo de 2014, a presidente Dilma Roussef, lembrando-se daqueles momentos embaraçosos absteve-se de fazer qualquer discurso. Bastante cautelosa, a presidente da nação, nem sequer ousou levantar-se quando seu nome foi anunciado ao microfone. As filhas levantaram-se, mas ela não. Mesmo assim, Dilma não foi poupada de vaias e xingamentos.

Povo sábio esse, que sabe separar bem duas coisas distintas: futebol e política. Aos poucos, o povo brasileiro está tomando consciência de que o atraso de nosso país se deve, principalmente, a corrupção que corre solta, desde as câmaras de vereadores nas pequenas cidades, a setores do alto escalão do governo federal. Parace que, só quem não está tomando consciência que o Brasil entrou numa nova era de moralidade, são os políticos que ainda insistem em governar o país através do submundo da política, manchando de lama e vergonha a nossa bandeira e nossa pátria. Esse tipo de político, especialista em fazer politicalha não nos representa, representam sim, os próprios interesses. Lembrando sempre que não se deve jogar todos na fogueira: há os bons políticos e, são esses que devemos eleger como nossos representantes legítimos. Está difícil encontrá-los? Vamos pesquisar seus atos e ações, o que fizeram, se enfrentam processos na justiça. Por que colocar bandidos em nossas casas legislativas? Fazer isso é cometer a insensatez de colocar lobos dentro de casa para que ele nos devore a todos que estão dentro de casa. 

Enfim, que venha um novo título para o Brasil: o título de campeões mundiais. Será bom ser campeão em casa. Mas se o título não vier, que tenhamos a consciência de que isso não é o fim e de que outras Copas do Mundo virão. O que não pode deixar de acontecer é deixar de brilhar sobre o Brasil o sol da liberdade, da moralidade, do bem viver e a esperança de que todos os brasileiros, desde o mais rico ao mais pobre, possam viver com dignidade e decência. Que seja afastado para bem longe de nós, o fantasma do racismo que nos persegue desde os tempos do Brasil colônia. Que todos: brancos, índios, negros e estrangeiros saibam que somos todos, parte de uma única raça: a raça humana.



1 Comments


O amor pelo Brasil, o senso de nacionalismo e de patriotismo dorme em no coração de cada brasileiro, e parece que só acorda em época de Copa do Mundo. Bom seria que tivéssemos esses sentimentos durasse o ano inteiro, só assim a gente teria força para mudar de verdade esse país.

Postar um comentário

Copyright © 2009 Cottidianos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive. Distribuído por Templates