0

Mapa da violência: Brasil bate recorde histórico

Posted by José Flávio Santos de Carvalho on 22:02
Quarta-feira, 28 de maio

Não bastasse a cobertura negativa que está se fazendo sobre a Copa do Mundo, o país bate mais um recorde indesejável. Desse jeito, como vamos passar uma boa imagem? Algo está errado no Brasil e é urgente que se faça alguma coisa para consertar. Hoje, compartilho com vocês uma reportagem que foi ao ar no Jornal da Globo, edição de 27 de maio e um comentário feito pelo jornalista Alexandre Garcia, no Bom Dia Brasil, hoje pela manhã. Ambos os telejornais são exibidos pela Globo.

***


Imagem: http://jornalarte3.blogspot.com.br/2012/09/caxambu-111-anos-cidade-exaltada-e.html

Brasil bate recorde no número de homicídios registrados em um ano

Foram registradas 56.337 mortes em 2012, maior número desde 1980.


O Brasil bateu recorde no número de homicídios registrados em um ano, segundo dados divulgados no Mapa da Violência, elaborado pela Faculdade Latinoamericana de Ciências Sociais.

Ao todo, foram 56.337 mortes no ano de 2012, o maior número desde 1980. Essa taxa de homicídios chegou a 29 casos por 100 mil habitantes. O índice, considerado não epidêmico pela OMS (Organização Mundial da Saúde), é de dez mortes para cada grupo de 100 mil habitantes.

Alagoas tem a maior taxa com 64,6 mortes. Em seguida, vêm o Espírito Santo e o Ceará. Na outra ponta da lista, os dois estados com a menor taxa de homicídios do país: São Paulo, com 15,1, e Santa Catarina, com 12,8 ocorrências.

Na média nacional, o número de homicídios cresceu 7% de 2011 para 2012. O Jornal da Globo foi conversar com especialistas que explicaram o que esses números significam para o Brasil.

POR QUE AUMENTOU?

O número de homicídios no país em um ano supera o registrado em quase dois anos de conflito da Chechênia, entre 1994 e 1996, quando 25 mil pessoas morreram.

O coordenador do estudo explica que, na última década, os homicídios caíram nas grandes cidades e aumentaram no interior, que têm menos estrutura de segurança pública. “Cresceu em municípios de pequeno e médio porte no interior dos estados totalmente desprotegidos sem a mínima estrutura de segurança publica”, analisa Julio Jacobo Waiselfisz, coordenador de estudo da violência da Faculdade Latinoamericana de Ciências Sociais.

Segundo a pesquisa, na última década, a região Sudeste foi a única que conseguiu reduzir o número de homicídios, apesar das taxas continuarem altas. Já o Nordeste e o Norte registraram mais de 70% de aumento nos casos de homicídios em dez anos.

Para Luciana Guimarães, especialista em segurança pública, o primeiro passo para mudar esse cenário é identificar as causas dos crimes.

“Acho que a gente ainda tem baixa qualidade de diagnóstico e de esclarecimento de crimes. Isso orientaria todo um trabalho de prevenção e também de romper ciclos de impunidade”, aponta Luciana.

“Quando você tem baixo esclarecimento, você sequer entende o fenômeno e também, quer dizer, mostra que o crime mais importante, crime contra a vida, tem pouca importância para o sistema de justiça criminal. Então, a gente precisa começar a trabalhar com informação de qualidade, desagregada para que bons diagnósticos possam produzir boas políticas públicas”, reflete Luciana Guimarães, diretora do Instituto Sou da Paz.


***


Alexandre Garcia
Alguma coisa está muito errada com o Brasil
Por Alexandre Garcia

O aumento da violência virou um problema crônico e os casos se repetem quase sempre nos mesmos locais já mapeados. Fica clara a falta de uma política de segurança, de combate à violência. É mentira que o mundo todo seja assim, e os brasileiros que viajam para o exterior que o digam. Em abril gastaram lá fora um recorde de US$ 2,344 bilhões.

Sinal de que estão viajando muito e sabem o que é sair pelas ruas, mesmo à noite, despreocupados com assaltos, balas perdidas, podendo sacar dinheiro no caixa eletrônico da calçada, em plena escuridão, sem revólver na cabeça ao parar no semáforo com o carro alugado.

Segundo o mapa da violência, em 2012 estávamos nos matando à razão de 154 por dia. Isso em 2012. Hoje está com jeito de que piorou. Uma matança que não nos escandaliza. Será que matar foi banalizado? A vida vale pouco? É como se um avião cheio de passageiros caísse todos os dias e ficássemos indiferentes.

Tente explicar isso ao estrangeiro que vier para a Copa. Não vai acreditar. A Croácia, nosso adversário na abertura, sofreu uma guerra de dois anos. Calcula-se que morreram dois mil croatas, o equivalente a meio mês de homicídios no Brasil. Eles tiveram 51 homicídios em 2012, 1,2 por cem mil habitantes. O Brasil tem 29 por cem mil. Alguma coisa está muito errada com o Brasil, porque nesse jogo, estamos perdendo feio.





0 Comments

Postar um comentário

Copyright © 2009 Cottidianos All rights reserved. Theme by Laptop Geek. | Bloggerized by FalconHive. Distribuído por Templates